Âmbito


A produção científica reveste-se da maior importância no conjunto das actividades académicas e de investigação. É um instrumento pelo qual a comunidade científica mostra os resultados, a pertinência e a relevância da investigação e é o espelho do desempenho da instituição e dos docentes e investigadores, nas actividades de ensino e investigação.

O Português, idioma oficial de oito Estados (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste) e de cerca de 20 Organizações intergovernamentais, é utilizado por mais de 240 milhões de pessoas em todo o mundo. Apesar de ser a 6.ª língua nativa mais falada em todo o mundo e uma referência da literatura e da ciência, a sua presença na literatura científica internacional é mais fraca do que seria expectável, já que o idioma Inglês é considerado a “língua franca da ciência”. Consideram alguns investigadores que a utilização do Inglês permite acabar com as barreiras de comunicação e de acesso ao conhecimento bem como possibilitar a visibilidade dos resultados da investigação. No entanto, ao analisar-se esta questão também se percebe que sendo a ciência uma parte importante do desenvolvimento de um país, o idioma nativo é uma ferramenta linguística de promoção e enriquecimento cultural e científico da sociedade.

Nesse sentido seria expectável que parte significativa da investigação nacional fosse publicada na sua língua nativa (12). Ainda assim, os periódicos científicos publicados pelos países que não estão na fronteira do desenvolvimento da ciência e não têm o Inglês como idioma nacional não têm o prestígio de um periódico internacional e não conseguem entrar no círculo de periódicos regularmente analisados pelos prestigiosos índices de citação das principais bases de dados internacionais (13).


Entidades Envolvidas



Apoio Institucional